Cuco

Cuco

Cuco

O cuco é um pássaro parasita. Ao invés de construir ninhos, ele põe ovos nos ninhos de outras espécies. Assim, ele outros pássaros cuidam dos seus filhos, e ele pode viver sem gastar energia para criar seus filhotes. Mas a tarefa não é assim tão simples. Após milhares de anos de evolução, estratégias foram ficando mais elaboradas. O pássaro hospedeiro, apesar de ser irracional, não é burro: se um ovo simplesmente brotar em seu ninho, ele o destruirá. A ‘solução’ que o cuco encontrou para essa retaliação foi esperar o hospedeiro colocar um ovo, e substituí-lo por um ovo de cuco. Cada fêmea cuco é capaz de colocar ovo de determinada cor, com determinado padrão na casca. Assim, uma fêmea só pode utilizar uma espécie como hospedeira. Se a fêmea tentar colocar ovo no ninho de uma espécie diferente (que não tenha o ovo parecido com o dela), o pássaro distinguirá o ovo cuco dentre seus ovos (por ter cor ou padrões na casca que diferem do ovo ‘original’) e o eliminará do ninho.

Há pouco tempo li uma reportagem sobre uma espécie que ensina os filhotes a cantar de determinado jeito. Assim, se o cuco tentasse usar a espécie como hospedeira, a mãe detectaria o canto diferente e mataria o filhote intruso.
E isso não é tudo. Ao nascer, o filhote mata todos os outros pássaros/ovos do ninho onde nasceu, assim os pais adotivos cuidarão apenas dele, e ele terá mais chances de crescer com sucesso.

Por votla de 1930 um britânico filmou pela primeira vez um cuco em ação, colocando ovos no ninho de um hospedeiro:

(dura cerca de 15 segundos)

a fêmea cuco coloca o ovo, enquanto o passarinho dono do ninha a ataca.

Fizeram experimentos substituindo o cuco por outro pássaro, com um gravador próximo ao ninho para simular o canto do cuco e da espécie dona do ninho e descobrir qual a reação dos pais à cada canto. Foi descoberto que a forma como o Cuco canta incentiva a mãe à oferecer-lhe mais comida. O cuco é bem maior que as aves hospedeiras. Chega a ser bizarro quando o filhote cresce. Em algumas semanas ele se torna maior que os pais adotivos.

Cuco (o pássaro maior) sendo alimentado pela mãe adotiva.

Cuco (o pássaro maior) sendo alimentado pela mãe adotiva.

Casos como esse nos faz achar que existem animais ‘perversos’. Gosto de uma frase de R. Dawkins a respeito disso, “isso soa selvagemente cruel, mas como vemos, a natureza não é cruel, apenas impiedosamente indiferente. Essa é uma das lições mais difíceis para aprendermos. Não conseguimos admitir que as coisas possam não ser nem boas nem más, mas simplesmente indiferentes a qualquer sofrimento, sem qualquer propósito.”

Fontes:

http://www.nytimes.com/1998/11/10/science/baby-cuckoo-s-tricks-are-unmasked.html

BBC Natural World – Cuckoo

O rio que saia do Eden. Dawkins, R.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s